Há feridas que Não se podem curar com luvas

Há feridas que Não se podem curar com luvas

Todos nós temos feridas emocionais, que podem ser comparadas a uma ferida física.

Imagine que você tem, por exemplo, um machucado na mão. Essa ferida está lá faz muito tempo, e por algum motivo você escolheu ignorar essa ferida. Ao invés de trata-la, você decidiu cobri-la com uma luva para que ela não ficasse exposta, e assim você, nem ninguém a veja.

Agindo assim, você pensava que poderia fingir estar tudo bem (não haver a ferida).

Mas cá entre nós, você acredita mesmo que esta é a solução para curar essa ferida?

Obviamente a resposta é não!

Você, eu e todo mundo sabe disso! Menos o EGO. E essa é uma maneira, entre tantas, que o EGO utiliza para nos iludir.

Mas voltando a falar sobre sua ferida.

Tendo apenas coberto o machucado com uma luva, podemos afirmar que ele dói muito quando alguém toca sua mão, mesmo com a “proteção” da luva.

Ainda que a pessoa segure sua mão com amor, você vai gritar: “Ai! Isso dói”. Então imagine agora a surpresa daquela pessoa. Ela, de forma alguma quis te machucar ou causar qualquer dor. E mesmo assim, você sofre com aquele toque, porque decidiu não tratar a ferida adequadamente.

Na verdade, a outra pessoa não tem culpa por sua dor.

Entende? É dessa maneira que acontece com todas as feridas emocionais. São muitas as situações e os momentos em que nos sentimos abandonados, rejeitados, humilhados, traídos, tratados injustamente, magoados, tristes, desamparados, descontrolados, culpados, ressentidos, com medo, com vergonha, com raiva, etc.

E sempre que nos sentimos assim, nosso EGO acredita que outra pessoa deve ser responsabilizada. O EGO não quer que olhemos para essas coisas e que acreditemos em algo diferente. Porque ele se alimenta e sobrevive dessas crenças de que os outros são os culpados.

Entenda uma coisa muito importante agora:

Não existem pessoas culpadas. O que realmente existe são pessoas sofredoras.

Quanto mais acusamos os outros, ou a nós mesmos, pelo sofrimento que experimentamos, mais essa experiência se repete. Sabe quando você tem uma unha encravada e é sempre, exatamente naquele dedo que você dá uma topada? Mesmo tendo outros dezenove dedos para isso acontecer, é lá no dedo com a unha encravada que você topa!

Então se topar, Atenção, porque aí tem coisa!

A acusação só tem uma serventia: nos deixar infelizes!

Agora, imagine-se olhando com compaixão para os que sofrem (isso inclui você!). E note como as situações, os contextos, as pessoas e tudo mais passa a se transformar.

Observar essas coisas de uma perspectiva diferente vai ajudar você a fazer as pazes com tudo e todos aí dentro de você. Basta sua vontade e permissão para  retirar a luva, carinhosamente, e olhar para a ferida de maneira adequada, gentil, e quando a ferida estiver descoberta você será capaz de cuidar dela devidamente, para que ela sare e você possa Experimentar a PAZ consigo. Sem culpas nem culpados. Sem vítimas nem algozes.

Eu não dou conta!

E talvez você pense que não dá para fazer isso sozinho. E conforme esteja sua ferida, não dá mesmo! Mas você sempre pode contar com alguém mais experiente, que conhece métodos e utiliza ferramentas adequadas para tratar essas feridas emocionais de forma gentil. Conte comigo!

Agende agora uma sessão personalizada de atendimento por vídeo conferência.

Libere de deixe sair toda tristeza, todos os medos, desesperos, traições, descontrole, humilhações, vergonhas, culpas e tudo mais que estiver doendo aí!

Permita-se. Liberte-se. #ExperimenteaPAZ

Rogério Peixoto

Compartilhe nas Redes Sociais